O POETA NA RUA
O poeta atravessou a rua
e se foi pro outro lado
devagar e sem olhar
o que ficou pra trás.
Seu momento de pressa
ficou do outro lado,
na outra margem,
e agora era outra a paisagem,
o sentimento,
e o seu pensamento
se confundiu com as luzes da rua,
com as buzinas
e os apitos desencontrados
e desafinados.
O poeta se foi
no seu passo de rima e de métrica,
seu olhar de poeta, sua vontade,
sua bondade e a saudade da poesia.
O poeta não entendeu
a mensagem do tempo e o som do vento,
parou um momento
e sentiu que o sol ardia
como arde no coração a poesia.
Cícero Alvernaz (autor)
12-02-2020

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZONA RURAL

POEMA DA LAVADEIRA

DIGA NÃO AO TABAGISMO, DIGA SIM Á VIDA!