A ROÇA
Eu menino ia pra roça,
colher milho, apanhar café,
ia de manhã com frio,
bem antes do sol nascer,
ia sem pressa no meu andar,
eu ia muito devagar,
pois não tinha pressa pra chegar.
Eu de manhã ia pra roça,
eu era apenas um menino,
era um sonho em pessoa,
eu era gente boa
que não temia nada,
eu era um menino roceiro
levando a minha enxada.
Eu menino ia pra roça,
ia sem pressa, ia devagar,
quando eu chegava na roça
o sol já estava quente,
lá o mato me esperava,
eu aos poucos capinava
alegre, feliz e contente.
Cícero Alvernaz, (autor)
26-07-2020

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZONA RURAL

POEMA DA LAVADEIRA

DIGA NÃO AO TABAGISMO, DIGA SIM Á VIDA!