EM PAZ ME DEITO
Em paz me deito
sem dor no peito,
sem catapora
e sem Corona.
Deito esticado,
viro pro lado
bem confortado,
porém o sono
me abandona.
Em paz me deito
bem satisfeito
depois de um dia
em quarentena.
Fico esticado
neste estado
meio cansado
na minha cama
que é pequena.
Em paz me deito,
este é o meu jeito,
a minha forma
de descansar.
Neste abandono
espero o sono,
fecho os meus olhos,
depois em paz
quero acordar.
Cícero Alvernaz (autor)
20-03-2020

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZONA RURAL

POEMA DA LAVADEIRA

DIGA NÃO AO TABAGISMO, DIGA SIM Á VIDA!